• contato@gustavotaveira.com

Author Archive Gustavo Taveira

Como usar a Diversidade a favor do seu negócio?

A Diversidade é um FATO… é a nova realidade do mundo. Precisamos aceitar, respeitar e entender, para que possamos usá-la a nosso favor.

Seja qual for o seu negócio, o mundo em que seu produto ou serviço será oferecido/consumido tem a Diversidade como regra e não mais como exceção. E, quando falo Diversidade, estou falando de todas as suas “versões”: de raças, gêneros, religiões, gerações, acessibilidade, etc.

Como fazer para ter sucesso em um mundo onde a Diversidade virou regra?

Em poucas palavras: fomentando e trazendo essa diversidade para dentro da sua equipe e da sua empresa. Me explico…

É muito fácil chegar a um consenso sobre alguma coisa se colocarmos em uma sala pessoas que compartilham do mesmo grau de instrução, geração, gênero, raça e religião. Porém, apesar de um consenso mais fácil, a única certeza que tenho é que o resultado não atenderá ao mundo real e à diversidade de potenciais consumidores.

Por outro lado, ao ter uma equipe que reflete a Diversidade do mundo, é possível ter todos os tipos de opiniões e visões sobre o que está sendo discutido. É preciso escutar, respeitar e entender a opinião de todos, pois cada um traz diferentes perspectivas, resultantes de experiências de vida distintas.

No ambiente de trabalho, se não formos concientes do nosso comportamento, de suas consequências e entrarmos no “piloto automático”, a tendência é de sempre contratarmos pessoas que se pareçam conosco. Esse tipo de comportamento só prejudica a capacidade de inovação da equipe como um todo.

Obviamente, dá muito mais trabalho gestionar uma equipe com idéias e pensamentos tão distintos e muitos preferem permanecer em sua zona de conforto, mas vale a pena e o resultado final é muito mais eficaz.

Esse, na minha opinião, é o grande desafio dos gestores do Século XXI.

8 lições da Natação para a vida corporativa

Comecei no esporte muito novo e com 7 anos já competia como federado na Natação. Depois de anos como atleta iniciante, amador e profissional, percebi que muito do meu caráter e das minhas características, inclusive no mundo corporativo, foram moldadas pelo esporte.

Hoje, olho para trás e vejo o quão importante foi crescer num ambiente que, ao mesmo tempo, é saudável e competitivo. Por isso, resolvi escrever algumas coisas que aprendi com a Natação e que transformaram a minha vida.

1) Traçar objetivos e definir um plano para alcançá-los

No esporte, para chegar a algum lugar e conquistar algo, primeiro precisamos saber com clareza onde estamos e onde queremos chegar. Conhecer nossos pontos fortes e oportunidades de melhoria e entender exatamente o que precisa ser feito, antes de tomar as ações.

Na nossa carreira é exatamente igual. Precisamos assumir o protagonismo do nosso próprio desenvolvimento, tendo uma estratégia traçada para cobrir eventuais “gaps” que nos separam de nossos objetivos. Caso contrário, estaremos a deriva e, assim como no esporte, o “acaso” nunca vai ajudar.

2) Disciplina e foco no que precisa ser feito

“As pessoas de sucesso são aquelas que que possuem a disciplina necessária para fazer o que precisa ser feito, independente se gostam ou não”

DC Gonzales – “The Art of Mental Training”

Definitivamente, praticar um esporte de alto rendimento como a Natação, me fez entender que nada nos é dado e tudo precisa ser conquistado com muito suor. Se temos um objetivo e queremos alcança-lo, precisamos nos dedicar muito, fazer o que precisa ser feito e correr atrás, dia sim e dia também. Temos que acreditar no objetivo e curtir o caminho, mesmo sem ter nenhuma garantia de sucesso.

3) Saber dizer não e conhecer nossas prioridades

Nos tempos de colégio e faculdade, eu não conseguia participar de todos os eventos e festas com os amigos. Afinal, tinha treino no dia seguinte. Tive que dizer muitos “não” aos amigos e até familiares por um objetivo maior que, na época, era a minha prioridade.

No trabalho, também precisamos ter bem claras as nossas prioridades e saber dizer “não”. Seja para uma atividade que não é prioridade no momento ou até pra um cafézinho, que também precisa ser priorizado às vezes. Caso contrário, nunca conseguiremos entregar aquela apresentação que o chefe pediu e nem cumprir os prazos que nos são exigidos.

Saber dizer “não” é uma das coisas mais importantes na vida corporativa e pode até parecer fácil… mas não são poucas as pessoas que tem (muita!) dificuldade em fazê-lo.

4) Gestão de tempo

Minha carreira como nadador profissional começou na época de colégio e foi até a faculdade. Durante essas fases, eu sabia todos os horários em que precisava estar no colégio/faculdade e os horários dos treinos.

Eu também sabia exatamente quantos minutos gastava nos deslocamentos casa-colégio, colégio-casa, casa-clube, clube-casa, etc… podem chamar de TOC 😉 . Com todas essas informações, eu sabia quanto tempo tinha para programar meu dia. Por exemplo (podem rir): eu saia da piscina do complementar às 6:25h da manhã e tinha exatos 10min para tomar banho, trocar de roupa e estar no carro, para conseguir chegar no colégio antes das 7h. Além disso, eu chegava em casa às 13:10h, tinha 20min para almoçar e poder cochilar 30min. Depois disso, precisava levantar para estudar e fazer os exercícios das matérias até 15:30h, quando já tinha que sair novamente para chegar no clube a tempo do treino principal. 😀

Pode parecer engraçado (é mesmo!), mas essa fase da minha vida me ensinou muito sobre gestão de tempo e a respeitar os horários. Aprendi a programar meu dia, reservar tempo para as coisas que realmente preciso fazer e depois encaixar as coisas que eu gostaria de fazer. É por isso que, até hoje, muitos amigos brincam comigo sobre a quantidade de horas do meu dia e como consigo fazer tantas coisas. Não é nada fácil, mas é totalmente viável encaixar o trabalho, a natação, o ciclismo, a corrida, a musculação, as aulas de tênis, os livros, os seriados e, por mais incrível que possa parecer, ainda ter tempo para dormir! Rsrs

Gastar um tempo planejando a semana, dar uma olhada na agenda do dia seguinte antes de dormir, respeitar os horários de início e fim das reuniões… são pequenas coisas que fazem grande diferença e que qualquer um pode começar a fazer imediatamente.

5) Confiar nos outros

Quem pensa que a Natação é um esporte individual está muito enganado. Cada uma das conquistas que tive só foi possível porque havia muita gente competente envolvida. O técnico, equipe médica, o nutricionista, os patrocinadores, sem falar na família. Não entendemos de tudo, mas confiamos que o que estão fazendo por nós é para que sejamos melhores.

Numa empresa não é diferente. Não conseguiremos chegar muito longe se não confiarmos nos nossos colegas, nos nossos líderes e nos liderados. Precisamos confiar que todos estão comprometidos a entregar o seu melhor e colaborar para que tenhamos sucesso como “time” e, ao mesmo tempo, que cada um tem o seu jeito de fazer as coisas… que nem sempre é igual ao nosso, mas que nem por isso significa que é melhor ou pior..

6) Vencer em equipe é melhor que vencer sozinho

De todas as medalhas e recordes que já tive, as que mais me lembro são dois ouros nos revezamentos 4 x 50 e 4 x 100 livres, no Campeonato Brasileiro Juvenil. Como nadados de fundo, eu não tinha muitas oportunidades de nadar revezamentos e não éramos nem de longe os favoritos, mas uma vitória compartilhada e ter as pessoas que venceram com você ao seu lado para abraçar e comemorar junto foi realmente inesquecível.

Por isso, ter uma equipe na qual você confia, compartilhando objetivos comuns e ralando “ombro a ombro” é algo muito motivador. As vitórias precisam ser comemoradas sempre!

7) Ter tranquilidade e agir sob pressão

Imagine a cena… é a competição mais importante do ano e você é o favorito para vencer a prova. Se ganhar, todos vão dizer que “já sabiam” e que “não fez mais do que a obrigação”. Porém, se perder, será uma grande decepção, mesmo sabendo que todos tiveram a mesma quantidade de dias para se preparar e se dedicaram muito para estar ali.

Posso garantir que esse tipo de experiência faz com que falar em público ou apresentar uma idéia ou um projeto para o seu Diretor ou para o Presidente da empresa vão parecer suuuuper tranquilo! 😉

8) O que te trouxe até aqui não vai ser suficiente para te levar adiante

A natação é exatamente como o famoso livro de Marshall Goldsmith… tudo que treinamos e fizemos para fazer o melhor tempo da nossa vida não vai ser o suficiente e nem vai garantir que seguiremos melhorando os nossos resultados.

Livro: “What Got You Here Won’t Get You There: How successful people become even more successful”

Marshall Goldsmith

Da mesma forma, na vida corporativa, o conhecimento, as experiências e as atividades que nos trouxeram até a posição que ocupamos hoje não serão suficientes para seguir crescendo. Precisamos sempre buscar nossa melhor versão, seja através de novos conhecimentos, de novas habilidades, novas experiências e/ou projetos. Sempre buscando crescer e construir nosso futuro dentro da profissão que escolhemos.

Conclusão:

Acredito demais no esporte como agente formador e transformador de pessoas e até mesmo da sociedade. Não é por acaso que sempre incentivo aos amigos e familiares que pratiquem esporte e que fomentem o esporte desde cedo na vida dos seus filhos.

Muito da minha personalidade e do que conquistei na minha vida, inclusive na profissão e no mercado de trabalho, devo ao esporte ou aos ensinamentos que o esporte me trouxe. Querer vencer sempre, mas saber perder. Se dedicar ao máximo, ter disciplina, mas se decepcionar algumas vezes. Conhecer lugares, fazer amigos, respeitar as regras e os “adversários”… obrigado natação, eu sempre serei muito grato!

Como evitar reuniões improdutivas?

Que as reuniões improdutivas são um desperdício de tempo para os colaboradores e, consequentemente, de dinheiro para a empresa, todos já sabemos faz tempo. Apesar disso, a quantidade de horas de trabalho desperdiçadas nunca foi tão grande, de acordo com pesquisa feita com com 6.500 profissionais na Inglaterra, Alemanha e nos Estados Unidos.

Em relatório publicado pela Doodle, uma das principais plataformas de agendamento online do mundo, foram analisados mais de 19 milhões de reuniões agendadas através da plataforma em 2018. Entre as principais (e mais assustadores) descobertas estão:

  • Em média, um profissional passa 12 a 15 horas por mês em reuniões, das quais aproximadamente 66% foram consideradas que não faziam sentido;
  • 37% dos colaboradores entrevistados apontaram as reuniões desnecessárias como o maior custo para suas organizações;
  • 76% dos entrevistados consideram reuniões presencias mais eficientes do que áudio ou vídeo conferências;
  • 70% dos entrevistados responderam que as reuniões pela manhã (entre 8h – 12h) são muito mais produtivas;
  • 33% dos entrevistados responderam que são incapazes de contribuir na maioria das reuniões que participam;

Quando questionados sobre as principais consequências de reuniões improdutivas, 44% responderam que acabam sem tempo para se dedicar ao restante do trabalho, 43% disseram que os pontos de ação pós-reunião não ficam claros e geram ainda mais confusão e 38% apontaram que acabam gerando uma perda de foco nos projetos em si.

Além dos fatores incluídos no relatório, quem nunca se sentiu extremamente entediado ou desmotivado em uma reunião que não faz sentido ou que, claramente, não vai chegar a lugar algum? Isso sem contar no tempo perdido com eventuais deslocamentos e até mesmo com a mudança de contexto para retomar a atividade que foi temporariamente interrompida para que pudesse participar da reunião.

E como podemos virar o jogo e sair do ciclo vicioso das reuniões improdutivas?

A boa notícia é que o relatório também aponta os principais fatores para que uma reunião seja considerada boa ou ruim, permitindo que possamos trabalhar internamente em nossas empresas para garantir que algumas regras básicas sejam cumpridas e, consequentemente, que as reuniões sejam mais eficazes.

Entre as principais características de uma reunião produtiva:

  • 72% responderam que precisa ter um objetivo claro e previamente comunicado;
  • 67% responderam que precisa ter uma agenda clara e que precisa ser respeitada;
  • 35% responderam que não pode ter muita gente na reunião;

Por outro lado, entre as principais características de uma reunião improdutiva e que devem ser evitadas a todo o custo:

  • 55% apontaram como causa os participantes atendendo chamadas e respondendo mensagens de texto durante a reunião;
  • 50% apontaram a interrupção entre os participantes;
  • 49% disseram sobre o fato dos participantes não prestarem atenção sobre as contribuições uns dos outros;
  • 49% apontaram o fato de pessoas chegando atrasadas ou saindo antes do término da reunião;

Conclusão:

Em resumo, para que uma reunião seja o mais eficiente possível, precisamos preparar bem e de forma antecipada, garantindo que teremos um objetivo bem definido e uma agenda clara, ambos incluídos no próprio convite da reunião, para que todos os participantes também possam se preparar com antecedência. Caso não seja o organizador e receba um convite sem essas informações, não custa nada responder perguntando pelo objetivo e temas que serão tratados na reunião. Isso ajudará a criar uma cultura mais produtiva dentro da equipe e, consequentemente, dentro da empresa.

Além disso, é importante estarmos atentos e controlar bem o andamento das reuniões que participamos, evitando que os pontos negativos comentados a cima aconteçam em paralelo às discussões.

Para maiores informações e o relatório completo, acesse este link.

Alô Mundo!

Desde quando estava na faculdade, em toda nova linguagem de programação que aprendia, a primeira coisa a fazer era um programa simples que conseguisse apresentar a frase “Hello World!” na tela do computador. Foi um exercício passado pelos professores de C, C++ e Pascal, mas depois virou uma espécie de superstição para dar sorte! 😀

Se foi assim até hoje e se dizem que “em time que está ganhando não se mexe”, por que não dar esse título à primeira publicação do blog?

O Blog Gravata & Bretelle foi uma idéia que surgiu como consequência das minhas resoluções de ano novo para 2019. Um projeto que sempre tive vontade de fazer, mas que até hoje nunca tinha saído do papel… ATÉ HOJE!!

Meu objetivo com o blog é compartilhar conhecimento, leituras e aprendizados (teóricos e práticos), tentando aproximar o mundo técnico dos temas de negócios e o mundo de negócio dos temas técnicos. Vou sempre buscar assuntos que foram e/ou são de extrema importância/relevância pra minha vida pessoal e profissional, assim como novidades e tendências do mercado que gosto de ler e estudar sobre.

Se quiser saber um pouco mais do meu background acadêmico, profissional e até como atleta, pode buscar aqui.

Obrigado e volte SEMPRE! 😀

1